Dores articulares na menopausa

A menopausa é um período em que o corpo da mulher está passando por uma série de mudanças. Essas mudanças são causadas especialmente porque a produção hormonal tende a cair muito nesse período da vida, que marca também o fim da fertilidade feminina.

Por causa dessa diminuição de hormônios como a progesterona ou o estrogênio, a mulher pode apresentar uma série de sintomas, tais como ondas de calor, mudanças de humor, alteração de peso corporal e outros.

Além de tudo isso, outro sintoma que as mulheres costumam sentir é um incomodo mais frequente nas articulações. Embora possam parecer apenas um mero detalhe em meio à uma série de mudanças, esse problema merece atenção pois pode diminuir a qualidade de vida da mulher.

Causas das dores articulares na menopausa

Tecnicamente, as dores articulares são chamadas artralgias, sendo definidas como um inchaço ou incomodo que pode surgir em uma ou mais articulações do corpo.

Nesse caso, é considerado uma faixa etária a partir dos 45 anos de idade até a entrada na menopausa de fato.

As articulações possuem uma série de receptores do hormônio estrogênio, que agem como anti-inflamatórios naturais. Como há uma diminuição da produção desse hormônio durante a menopausa, pode ocorrer as dores generalizadas nas articulações.

Esses sintomas já podem começar a serem sentidos até mesmo antes da entrada na menopausa. Isso porque depois dos 45 anos de idade, a produção hormonal já entra em queda e passa a sofrer flutuações.

De uma forma geral, as dores que afetam as articulações são generalizadas, ou seja, ocorrem em diversas articulações ao mesmo tempo.

Mais do que isso, ela ainda podem causar outros sintomas, tais como rigidez nos movimentos, sensação de calor no local, inchaço e outros.

O que fazer com as dores articulares na menopausa

Alguns cremes e produtos para dores articulares podem ajudar bastante, como é o caso da pomata per artrosi Flexumgel, este creme costuma dar alívio rápido, diminuindo as dores.

Além disso, uma das principais formas de tratar o problema é regular a produção hormonal, procurando formas de recuperar os níveis indicados.

Como se sabe que a partir dos 45 anos de idade é normal que certos problemas aconteçam na vida da mulher, é importante contar com um bom acompanhamento médico.

Isso porque nessas situações, o mais indicado é sempre atuar de forma preventiva dos sintomas.

Nesse caso, o médico responsável pode sugerir o uso de suplementos para cartilagens, suplementos naturais para regulação hormonal, terapia de reposição hormonal, pomadas de uso tópico e outros.

Então, não menospreze a importância de tratar o problema, pois ele pode acabar limitando sua liberdade de movimentos, o que é bem ruim!